O que é o AMSUR?

INSTITUTO SULAMERICANO PARA A COOPERAÇÃO E A GESTÃO ESTRATÉGICA DE POLÍTICAS PÚBLICAS

Fundado em 2018 com o intuito de promover, fomentar e viabilizar a cooperação e integração sulamericana amparada na relação Sul-Sul, o Instituto AMSUR congrega especialistas e gestores públicos dedicados à elaboração, avaliação e gestão estratégica de políticas públicas.

Notícias AMSUR

VEJA AS PUBLICAÇÕES DOS ASSOCIADOS E ASSOCIADAS EM OUTRAS MÍDIAS

Próximos eventos

CONFIRA A AGENDA DOS PRÓXIMOS ENCONTROS E CONVERSAS

Não há eventos programados no momento

Quem faz o AMSUR?

ASSOCIADOS E ASSOCIADAS

O que faz o AMSUR?

PROPÓSITOS DO INSTITUTO

A atuação do Instituto AMSUR se destina a cooperação técnica e institucional na elaboração de parcerias com associações e redes regionais, nacionais e internacionais, prestando consultoria e assessoria na direção de altas escalas de governos e organismos multilaterais de fomento e financiamento. Também acompanha a implementação e coordenação de estruturas governamentais, tais como: gabinete de dirigentes, colegiados de alta administração, sistemas de governança, bem como ações de planejamento estratégico - planos de metas, planos diretores, desenvolvimento urbano integrado entre outros.

Toda sua atividade técnica não se limita às altas esferas de poder. O Instituto AMSUR incorpora em suas atividades de pesquisa e capacitação profissional o desenvolvimento de metodologias aplicadas a eficiência da elaboração, execução e avaliação de políticas públicas junto à organizações da sociedade civil, movimentos sociais, universidades, centros de pesquisa e consórcios públicos.

Agendas Estratégicas

Declaração Universal dos Direitos Humanos

ONU

Vivemos um processo de desmonte de direitos sociais e humanos. Em 1948, a ONU, Organização das Nações Unidas, sob o impacto da Segunda Guerra Mundial, propôs um mundo de direitos e liberdades, com igualdade entre homens e mulheres, delineando os direitos humanos básicos e inalienáveis e buscando sua garantia universal. Considerou isso como uma garantia da justiça, da liberdade e da paz no mundo. Declarou que esses direitos devem ser protegidos por lei e que estejam sob a promoção de relações amistosas entre os países, promovendo o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla.

Acordo de Paris

COP21 - CONFERÊNCIA DO CLIMA
2015

 O Acordo de Paris sobre o Clima visa ampliar a cooperação de todos os países signatários numa resposta internacional eficaz às mudanças climáticas observadas no último século por meio da redução das emissões globais de gases de efeito estufa. O objetivo final desta ação se orienta pela conservação da vida por meio das respectivas obrigações em matéria de direitos humanos, o direito à saúde, os direitos dos povos indígenas, comunidades locais, migrantes, crianças, pessoas com deficiência e pessoas em situação de vulnerabilidade, o direito ao desenvolvimento, bem como a igualdade de gênero, empoderamento das mulheres e a igualdade intergeracional.

Agenda 2030

OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL

Em 2015, a ONU - Organização das Nações Unidas - propôs aos seus países membros uma nova agenda de desenvolvimento sustentável para os próximos 15 anos, a Agenda 2030, composta por 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Visando reunir esforços de países, empresas, instituições e sociedade civil, os ODS tem como propósito assegurar os direitos humanos, acabar com a pobreza, lutar contra a desigualdade e a injustiça, alcançar a igualdade de gênero e o empoderamento de mulheres e meninas, agir contra as mudanças climáticas, bem como enfrentar outros dos maiores desafios de nossos tempos.

Nova Agenda Urbana

ONU HABITAT III

A NAU-Nova Agenda Urbana é resultado da Conferência das Nações Unidas para Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável (Habitat III) realizada em Quito no Equador em 2016, promovida pela ONU Habitat. Trata-se de uma declaração que reúne princípios, diretrizes e ações estratégicas a serem adotados, num horizonte de 20 anos, por governos, sociedade, universidades, empresas e instituições envolvidas com políticas urbanas, com o objetivo de promover o desenvolvimento urbano sustentável. Os desafios de sua implantação nas cidades da América do Sul estão ligados a problemas estruturais derivados da desigualdade sócio-territorial das nossas cidades. Nesse sentido os propósitos da AMSUR se vinculam ao apoio ao desenvolvimento da NAU nas cidades sul-americanas.

Pacto de Milão

POLÍTICA DE  ALIMENTAÇÃO URBANA

O Pacto de Política Alimentar Urbana de Milão é um acordo internacional assinado por 160 cidades do mundo em 2015. Um compromisso de trabalhar para tornar os sistemas alimentares sustentáveis, garantir alimentos saudáveis e acessíveis para todos, preservar a biodiversidade e combater o desperdício.  

Garantir a todos o direito a uma alimentação saudável, sem comprometer o futuro do Planeta, é sem dúvida um dos mais dificeis. O MUFPP, como é chamado, reúne hoje 199  cidades - 7 brasileiras - empenhadas em reunir as organizações da sociedade civil (OSC), os setores privados e formuladores de políticas para atingir metas de desenvolvimento através dos sistemas alimentares.

Economia de Francisco

ENCONTRO EM ASSIS, 2020

A economia deve servir à sociedade, e não o contrário. Vivemos uma era de profunda insegurança e busca de novos modelos. O desafio é encontrar modos de vida mais sustentáveis ​​que aliviem a carga sobre os (as) pobres, por meio do desenvolvimento de uma “economia circular”, explorando alternativas ao sistema capitalista de livre mercado e transformando a imagem que temos do que é a economia e como ela funciona. 

Ao repensar a partir dos princípios da economia de Francisco, podemos integrar nossas proposições específicas em um programa coerente e, em seguida, medir em que medida ela é realizada. 

Este ato de propor reformular a economia e de mudar nossa visão de quem somos, onde estamos e o que queremos ser enquanto cidadãos e nos coloca diante do desafio de transformar as ideias lançadas na economia de Francisco em políticas e exigir que aqueles e aquelas que exercem o poder comecem a trabalhar em direção a seus objetivos: prosperidade humana em um mundo vivo e próspero para todos e todas, inclusive para o próprio planeta.